mInis & tRemoços!

Receber actualizações no mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Fevereiro 18 2009

Ontem recebi um estudo de Olivier Clerc que é escritor e folósofo que através de uma metáfora conta uma experiência com uma rã mas que muito bem pode ser o que se passa com todos nós.

Passo a explicar:

 

Imagine um apanela cheia de água fria e uma rã a nadar lá dentro,

De seguida é aceso lume por baixo da panela mas a rã nem sente ao início e continua a nadar,

A água vai aquecendo muito lentamente e a rã até se sente cada vez melhor e nada, nada...

A água fica quente mas a rã até gosta

Agora a água está mais quente do que a rã gostaria, sente-se cansada mas isso não a incomoda em nada.

Agora a água está realmente quente, quase a ferver e a rã acha muito desagradável mas já está debilitada, aguenta e não faz nada

A água ferve e a temperatura sobe e a rã acaba simplesmente morta e cozida!


Se a rã tivesse sido lançada directamente para uma panela de água a 50 graus, com um golpe de pernas teria saltado imediatamente da panela e não morria cozida.

 

Com isto Olivier concluí e muito bem que isto mostra que quando uma mudança acontece de um modo suficietemente lento, escapa à consciência e não desperta, na maior parte dos casos, nenhuma reacção, nem um pouco de oposição ou alguma revolta.

 

Também na nossa sociedade ao longo dos anos temos vindo a sofrer uma mudança lenta à qual nos vamos acostumando e acomodando. Algo que chocava bastante há 30 ou 40 anos agora é completamente banal e indiferente. Pelo progresso fazem-se ataques contínuos à liberdade individual, à dignidade, à natureza, à beleza e à alegria de viver.

para o futuro em vez de se tomarem medidas apenas se sensibiliza as pessoas para se prepararem para algumas condições de vida decadentes e draméticas...

 

Sentimos fortes pressões, nomeadamente dos média, que nos saturam o cérebro ficando este sem saber distinguir as coisas...

 

 

Estaremos nós HOJE conscientes ou cozinhados? Precisamos de escolher!

 

Se ainda não estivermos cozidos como a rã vamos é dar o tal salto antes que seja tarde demais!

publicado por davidbranco às 10:31

Fevereiro 12 2009

 Ontem a selecção portuguesa de futebol viu-se em apuros para vencer a Finlândia, coisa que não acontecia já há uns bons anos.

Depois hoje lê-se nos jornais um artigo sobre Madaíl a defender o senhor Carlos Queiroz e a dizer que ha e tal o Scolari já deu o que tinha a dar à Selacção...

 

A meu ver os objectivos de Queiroz não se enquadram no que a selecção já nos habituou e muito sinceramente assim nem ao mundial vamos...

 

Na conversa matinal com alguns amigos da mine conclui o seguinte:

O Carlos Queiroz podia ir treinar oa FCP, o Jesualdo vinha para a Selecção Portuguesa, o Flores ia para o Chelsea e o Scolari vinhas mas é para o Benfica para ver se dá a volta à crise :)

 

 

 

Caso o Jesualdo não queira ir para a selecção

 pode bem ir treinar a selecção feminina de polo aquático da República Democrata do Congo e assim punham o Peseiro ou mesmo o Artur Jorge na Selecção e afundavamo-nos de vez.

Mas não, nós gostamos é de sofrer e reclamar no final.

 

Ah já agora o senhor madaíl podia ir com o professor jesualdo ou então candidatar-se a presidente do Carcavelinhos e o Socrates podia assumir a liga Portuguesa de Futebol, assim deixava o seu poleiro de primeiro ministro para algum (se houver) competente para tal e podia corromper a fedração na boa, seguindo assim, os passos de Madíl.

 

Ao começar assim a manhã só dou razão ao Boby, ao Tareco e ao Pinto da Costa, este ssim são os verdadeiros corruptos mas são sempe os que lucram com o mal dos outros... Isso é bonito oh pá!

 

Volta Scolari estás perdoado....

 

Bem reparo que ficaram curiosos quanto à equipa da selecção feminina de polo aquático do Congo, então, sendo assim, aqui fica a fotografia:

Os adeptos à esquerda e a equipa à direita. (prometo em breve um artigo acerca desta equipa)

 

publicado por davidbranco às 09:41

Fevereiro 11 2009

 Se a situação que o filme seguinte nos mostra acontecesse numa escola portuguesa era motivo para prender o professor, colocar a rapariga num colégio interno, processar a escola, a tvi e a sic iam fazer dois directos e emitir o telejornal lá da porta da escola e ainda prendia e processavam os pais do professor por terem feito um filho assim...

 

Era tão bom que em Portugal algumas coisas ainda fossem à moda do Salazar (e não, não falo do estilista).

 

Vejam e concluam o que entenderem...

 

publicado por davidbranco às 18:46

Fevereiro 11 2009

TwitterTambém eu há uns dias me rendi ao twitter.

Muitos amigos meus me perguntam... mas afinal o que é isso do Twitter que não tem piada nenhuma.

Eu geralemnete tento explicar e dou uma comparação que por exemplo o hi5 quando surgiu também não tinha piada nenhuma... E agora toda a gente tem lá um perfil.

2009 vai ser sem dúvidas o ano do twitter. Já surgiu em meados de 2007, pelo menos já oiço falar nele desde esse tempo, mas só agora com a crescente divulgação e utilização comecei a usar realmente.

Exprimentem!

 

Deixo-vos com um artigo do jornalista Paulo Querido acerca do Twitte que explica muito bem o que é:

 

Nos primeiros dias do ano assisti a um surto de novas inscrições no Twitter, o serviço de microblogging mais usado no mundo. Refiro-me a inscrições de portugueses - nos Estados Unidos a notícia já não é o surto, mas sim se o Twitter se tornará mainstream em 2009.

Também li e comentei posts cépticos sobre a evolução do Twitter, em particular o do João Pedro Pereira no Tecnopolis ( aqui ).

Mas porquê? O que é que o Twitter tem?

Há dias chegou-me o desafio de explicar o que é o Twitter num post no jugular - um dos blogs mais badalados da actualidade. Sem grandes preciosismos, listei algumas das razões para o interesse no serviço, ao mesmo tempo que explicam onde é que ele atrai as pessoas.

Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos)

Fi-lo, muito apropriadamente, em frases de 140 caracteres, ou menos, para provar desde logo ser falaciosa uma das "críticas" que se costuma ler: a de que "140 caracteres não dão para nada!". É que cada post, ou mensagem, ou "pio", ou "tweet" no Twitter tem a limitação de um máximo de 140 caracteres. Essa limitação só é um obstáculo para quem o aceite. Na verdade, é ela que torna o Twitter tão valioso: obriga ao essencial, num mundo hiper-mega-ultra repleto de acessório.

Citando João Pinto e Castro , um dos mais recentes bloggers (bl-g- -x-st- e jugular) da blogosfera "histórica", ou central, a aderir ao Twitter: "É espantoso a conversa da treta que cabe em 140 caracteres" (59). 
Republico aqui essa lista, revista e aumentada com uma secção com os perigos e os contras do uso do serviço.

Para que serve o Twitter? 

Para que serve o telefone? Para milhentas coisas, não é? Vejam no Twitter o telefone no início de século. Não se enganarão. (124 caracteres)

O uso pelos portugueses tem mudado. Hoje, 35% usa-o via browser (isto é, escreve directamente). Só 19% do uso é envio de posts via feeds. (138)

Nem sempre foi assim. Há 3 meses o uso era maioritariamente (mais de 1/3) como 2º canal de divulgação via feed (com o Twitterfeed.com). (136)

Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos)
Isto significa evolução. Os espanhóis, que usam + intensamente, + depressa e em maior número, tb têm diminuído como 2º canal. (126)

Lendo de outra forma: apesar da utilidade como 2º canal, o Twitter é cada vez mais olhado como o canal principal, o blog é o secundário. (137)

Fechem as bocas de surpresa Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos) E perguntem: porque é que metade da lista dos top 100 bloggers do Technorati tem intensa actividade ali? (136)

Respondo (em 140). 2 razões. 1ª testam importância de 1 tema antes de escrever, recolhem info e reacções. 2ª a curiosidade atrai leitores (138!!)

Reputação. Algumas "celebridades" do Twitter revelaram-se ali. Outras já existiam na blogosfera e cresceram as reputações no Twitter. (134)

Networking. Pageviews. Renovação dos leitores de um blog. Angariação de leitores brasileiros. (94)

É preciso algum cuidado mas consegue-se converter a actividade ali em leitores no blog. O Twitter é, hoje, a minha 3ª fonte de tráfego. (136)

Extraordinário manancial de informação. Embora com áreas sobrevalorizadas, sim: a web social, a tecnologia e a política americana são must. (140)

Ñ há melhor forma de seguir um acontecimento em tempo real. Entenda-se: + completa, com + pontos de vista. Links multimedia complementares. (140)

Extraordinária riqueza de links sobre qualquer coisa. Seguir as pessoas certas de um sector é a melhor maneira de saber TUDO sobre o sector (140)

É redutor escrever em 140 car? Há piores formatações! É o segredo. Simplificar. Avalio a importância de um assunto num olhar e clico ou não (140)

Conselhos? 1, apenas. Vão devagar. Da mesma forma que um blog não se faz numa semana, não se constrói nada no Twitter sem tempo. (129)

Ah, a menos que usem de forma passiva, isto é, explorando apenas o lado (soberbo, sem rival) de caudaloso rio de informação riquíssima (135)

Bastante informação aqui: http://is.gd/eEvP . Num só artigo? Este: http://tinyurl.com/ser-alguem-no-twitter (108)

Perigos e contras do Twitter 

É altamente aditivo. Um paraíso para os news junkies. (54)

É desmoralizante para quem busca o sucesso rápido ou fácil: demora imenso tempo a construir uma rede de leitores (chamados followers). (136)

Estimula a procrastinação. Quase não vi pessoas incólumes. Mas a maioria reagiu rápido no controlo da doença. (110)

Nos primeiros dias não se passa nada, um problema para os impetuosos. O retorno nunca é imediato ou garantido. (111)

É frustrante para quem pretenda estabelecer ali uma actividade puramente comercial ou propagandística. (103)

Como a vantagem do Twitter varia quase de indivíduo para indivíduo,pode demorar que tempos até perceber onde está o valor. Eu demorei meses (140)

Apesar, ou por causa, da simplicidade, a curva de aprendizagem não é rápida. Não há botões nem menus com os "comandos". Vale a entre-ajuda (139)

Sem alguma experiência de utilização e muita dedicação, o Twitter não serve para a auto-promoção, ao contrário do que se pensa (133)

Os followers não são necessariamente friends. Podem, até, ser inimigos. Não é fácil adivinhar as intenções, evite expor-se (123)

Seguir muitas pessoas traz, por cortesia delas, muitos followers, mas um grande número de followers nem o ego compensa. (120)

Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos)

Considerações pessoais

Há quem diga, carinhosamente, que eu sou um "adepto" e um "apaixonado" do Twitter. São simpáticas, as pessoas, mas abusam um pouco dos termos: não confundo a pertença ou a paixão com aprofundar conhecimentos mais ou menos activo e participado. Sei que os jornalistas não se devem envolver - mas nem a atitude social da classe está imune às evoluções (e involuções), nem estamos aqui a falar propriamente de envolvência num partido, numa empresa, numa organização, num clube (sou adepto de dois ou três, a começar pelo Sporting e passando pelo Manchester) ou mesmo na junta de freguesia local.

Aliás, o termo "envolvido" já é excessivo. Acontece simplesmente que acompanhei o Twitter desde muito cedo e com índices de curiosidade e atenção acima da média. Se isso me trouxe alguma "posição" enquanto "tuiteiro" (o que é largamente discutível, devo dizer), é uma marginalidade não pretendida.

Por outro lado, a tentativa de estabelecer páginas como a lista de "tuiteiros" de língua portuguesa, como fiz num wiki no meu endereço pessoal, tanto pode ser encarada como um sinal desse envolvimento, como - e eu encaro assim - uma pequena experiência do "jornalismo como um serviço". Este formato adicional, chamemos-lhe assim, do jornalismo está a emergir, ainda em casos isolados e as mais das vezes de iniciativa pessoal (como é o caso), mas os jornais não o enjeitarão a seu tempo. Alguns órgãos de Comunicação Social já o fazem, e de cabeça cito um exemplo recente, o da Al Jazeera no decurso da acção militar na Faixa de Gaza, proporcionando aos leitores um plataforma para a introdução de informações geo-referenciadas.

Abrir uma lista ad-hoc de portugueses e brasileiros com contas no Twitter não é notícia, mas é uma forma de principiar a organizar informação dispersa e caótica (Já agora, está aqui: http://tinyurl.com/jornalistas ).

Da mesma forma que algum jornalismo se preocupa com a cidadania e lhe dá guarida, também na rede algum ciberjornalismo abre espaço à cibercidadania.

O tempo veio, de resto, confirmar a minha aposta (ou perda de tempo, como alguns dirão): o Twitter é o caso mais sério na web social depois do Google, do YouTube e do Facebook.

Paulo Querido , jornalista ( Siga-me no Twitter )

 

E pronto podem seguir-me a mim também... O quê? Onde? No Twitter claro!

publicado por davidbranco às 09:42

Fevereiro 10 2009

 Começo a semana e finalmente recebo alguma indicação positiva relativamente ao estágio que terei de fazer do meu curso.

 

Como tenho um trabalho a tempo inteiro e o curso é pós-laboral , o estágio também o terá de ser. Sendo assim, eu e muitos colegas de turma optámos pela modalidade de estágio em teletrabalho ou freelancer mas... As coisas estão feias e só há estágios presenciais.

 

Finalmente acho que o director do curso me arranjou qualquer coisa em teletrabalho.

A empresa é a Prodigentia e fica lá nas bandas da capital.

Mas não é para falar do meu estágio que venho aqui postar mas sim para falar das condições dos estagiários em geral.

 

Mais uma coisa que está mal, a meu ver, em Portugal. os estagiários são os escravos das empresas, geralmente nunca desempenham a função para a qual estão classificados e formados e metem-os a fazer as coisas que mais ninguém quer fazer.

Não são pagos (geralmente) e trabalham horas e horas a fio.

 

Há dias li um artigo num jornal nacional que dizia qualquer coisa como que todas as empresas deveriam funcionar com estagiários, assim não tinham encargos com pessoal ou eram mínimos e o trabalho estaria feito.

 

Isto tem dois lados, por um lado é bom para as empresas e por o outro mau para quem quer trabalhar pois não gera postos de trabalho e como sabemos isto anda tudo nas ruas da amargura.

 

A minha solução para isto, e penso ser o que vou estudar para futuramente aplicar na minha empresa é trabalhar só ou preferencialmente com freelancers, assim pagamos à pessoa não a explorando e temos o trabalho garantido.

Por enquanto aguento eu com tudo pois não tenho clientes suficientes para ter de recorrer a outros funcionários ou freelancers. Espero que um dia isso seja realmente necessário :)

 

Pronto espero que o meu estágio não seja assim tão "coiso" como a generalidade dos que se vêm por ai. Vou fazer tudo por tudo para que o desempenho das minhas funções seja do agrado da empresa e clientes. 

 

E pronto para além disto, cá vou mantendo o meu trabalho de full-time, o meu ganha pão como se dizia na giria antiga e paralelamente a isto os meus trabalhinhos como webdesigner com a DoffProductions e a título pessoal. Pronto confesso! E com outros projectos ai em manga a lançar a seu tempo...

 

Fiquem atentos que estagiário é uma vida dura :) Ora vejam as seguintes BD (podem pesquisar mais na net basta pesquisar por "estagiário")

 

 

 

 Quer publicitar neste Blog ou colocar um artigo / entrada patrocinado? Contacte minisetremocos@david.pt 

publicado por davidbranco às 16:43

Janeiro 29 2009

 Pelos vistos a minha teoria e de alguns dos companheiros de infurtúnio nestas andanças pela web está cada vez mais correcta.

A Google quer a todo o custo (ou não) conquistar o mundo :)

Ora o tradicional motor de busca que todos bem conhecemos há uns anitos está d evento em popa, depois vêm as outras funcionalidades e produtos Google...

 

Vejamos:

 

Motor de Busca; Picasa; Gmail; Google Apps; AddWords e AddScene; Sites Google; Optimizador de Sites; Docs; Calendário; Grupos; Livros; Chrome; Gmail Offline; GDrive; etc...

 

Falta talvez surgir um sistema operativo Google para esbater o tradicional windows e quem sabe o Linux (montes de risos) e memso muitas outras funcionalidades.

 

Podia também falar nas Aquisições Google, muitas delas bem avultadas por sinal como foi o caso do Youtube.

 

Eu dizia numa conversa um destes dias que a Google quer conquistar o mundo, todos se riam e diziam que eu era maluco e o camandro mas a verdade é que cada vez mais me julgo com razão sobre esta matéria. Ora são lançamentos de novas funcionalidades para o Gmail através do labs ou mesmo novos serviços anunciados como o GDrive.

Enfim o GDrive é como que um PC virtual onde podemos armazenar umas gigazitas de informação acessível em qualquer parte.

 

Os Labs para o Gmai são como que extras ou applets (chamem-lhe o que quiserem) que se activam na nossa conta Gmail. Basta ter o idioma em Inglês e ir às Defenições e depois a Labs e é só escolher.

 

Bem não me vou alongar mais sobre estre assunto mas estou aberto a sugestões críticas e novidades.

Entretanto fico à espera que a Google anuncie a sua 1ª viagem à lua ou a outro planeta e que abra a sua filial neste pais à beira-mar plantado para ver se me dão lá um trabalhinho é que trabalhar numa cena destas é bem  mais aluciante e alucinante que por exemplo trabalhar para uma JP Sá Couto (mas essa é outra história = Magalhães lol).

 

Possivelmente antes de segunda já não haverá mais tremoço para ninguém, a urticária está a dar cabo de uma pessoa e há que ter calma e ir buscar a tão necessária inspiração cvadal (de cevada) para outras paragens... Deixar o Ribatejo por uns dias e ir para as cearas Alentejanas é o que vem ai.

 

Segunda conversamos sobre isso aqui ou numa mesa de esplanada (interior) perto de si (ou de mim :p).

Bom fim-de-semana... 

publicado por davidbranco às 14:40

Janeiro 27 2009

 Encontro-me hoje sem mini, sem tremoços, sem estar em nenhum café mas com um grande dilema em mãos...

Numa cadeira de empreendedorismo na web tenho de decidir hoje qual o trabalho final a fazer. Quer dizer qual não, o quê... é mais isso.

Temos de fazer um plano de marketing e estude de mercado para o lançamento de um novo produto ou serviço preferencialmente na web e se possível que seja de uma empresa criada ficticiamente (por enquanto) por nós...

 

Pensei um pouco nisto e cheguei à conclusão que estou com quatro cartas na mesa mas sem saber qual escolher...

 

Pensei primeiro por ir para uma empresa de hosting e registo de domínios que se diferenciasse da concorrênacia por ter serviços bem mais baixos tipo o que já tenho mas agora uma coisa assim em grande tipo uma Amen ou uma Claranet mas com uma política low cost que desse os valores realmente justos aos domínios e alojamento web.

Neste caso terei uma grande problema e um grande dilema. O problema é haver um denso mercado e um número quase infinito de malta a prestar estes serviços. O dilema é arranjar um factor diferenciador que faça com que os meus serviços se destingam e cativem os consumidores a aderir...

 

De seguida pensei em algo como "probloging" ou seja, um serviço de criação, alojamento e manutenção de blogs profissionais para particulares e empresas. Teria por base o wordpress ou mesmo joomla, dot net nuke ou outro e criaria blogs 200% personalizados bem como lojas online, etc.

Como é um serviço bem menos complicado do que fazer sites de raiz seria com valores mais acessíveis... Depois teria de pensar também dos factores de sucesso e no modo de diferenciação.

Este é um mercado ou uma face dele em franca expansão também mas há que saber tirar daí os seus louros. Já me começa a parecer melhor...

 

Mais um momento e mais uma ideia...

Como estamos em crise e está tudo ao contrário, porque não virar a vda de Pernas para o Ar e criar um serviço de venda de serviços desportivos com alta adrenalina em que por alguns momentos ou horas nos esquecemos da crise e do stress diário e viramos a vida de pernas ao ar?? 

Seria um pouco ao estilo da marca A Vida é Bela mas mais focado no desporto aéreo e derivados...

Ainda me comecei a entusiasmar mais, surgiu um nome e tudo e muitos desportos (alguns inexplorados em Portugal) que se podiam aqui enquadrar...

 

Mas mais uma voltinha e mais uma viagem e surge um quarto tema...

Pegando num velho domínio que tenho registado para nada mas que anda aqui a mecher na neuronolândi ahá algum tempo vejo que daria para criar algo diferente do seu propósito inicial...

Uma rede social 3.0 ou seja, algo que incorpore a típica rede social (tipo hi5. facebook, etc.) com algo mais alucinante do género do second live e ainda algo bem mais real como o facto de estarmos num espaço virtual real. com imagem 3D real de locais do nosso pais e do mundo.

Imaginem criar a vossa rede social GRATUITA em que cada um mostra a sua aldeia, asua vila e a sua rua :) Esta ideia ainda está um pouco embrionária mas vou por os pontos nos is e ver oq ue pode daqui sair...

 

Bm quem me puder ajudar a decidir por qual destas quatro vias posso e devo seguir no meu trabalho agradeço.

Depois porei novidades quando se justifique...

 

Qualquer coisa mail me please ;)

publicado por davidbranco às 10:00

Janeiro 26 2009

 Domingo à noite, numa mesa de café: Tema de conversa entre amigos... O estado da nação e o que aconteceu numa semana...

 

Descobrimos estar completamente dependentes do  media pois só falamos particamento do que estes falam e transmitem... É a tomada de posse do Obama, são os cães de água Portugueses, o Mourinho que foi expulso num jogo, O Freeport e o Sócrates, etc...

 

Reparem diz alguém...

Estamos aqui a preocuparmo-nos com esta treta toda e com os outros e os grandes e os ricos e os que querem é aparecer... E se nos focásssemos em nós, aqui na realidade mais próxima...

Boa ideia e foi então feito o nosso próprio resumo semanal enquanto no plasma memso em frente se via os Contemporâneos a meias com o atrave-te a cantar da Bárbara Guimarães... Eu diria mais atreve-te a cantar oh Barbara Guimarães... 

 

Por falar em Bárbara, um tá triste pois um amigo comeu-lhe a namorada ou seja lá o que ela fosse, nunca entendi e penso que eles também não.

Qual drame, qual história de amor trágico ao jeito de Garret. Estalada!!?? Não iria por ai. 

Sorte foi nem tudo correr mal para ele e pronto ao fim de muito tempo de luta lá arranjou um trabalho e as coisas paracem seguir bom rumo e então balanço semanal: 70% positivo e 30% negativo.

 

Vem o próximo e o dilema de sempre (desde as férias do verão) diz que gosta, diz que não, não tem coragem para dizer mas está indignado e rvoltado, faz grandes filmes de cabeça sem motivo aparente, quaisquer 3 minutos de conversa vão ter ao nome dela, enfim uma paixão assulampada que não consegue e tarda em assumir. Quando o fizer já deve de ser tarde... Olha que quem te avisa teu amigo é.

 

Ao longe o olhar fixo do Capitão a apontar na direcção da nossa mesa, algo comprometedor faz com que se puxe de mais uma cigarrada e uma mini.. Agora pago eu alguém diz... Pois é já é tio o moço... está todo contente e nem falou em mais nada da semana, só na sobrinha etc. etc. Nem mesmo no carro novo (para ele) estranho há dias não falava noutra coisa.

 

Enfim, foi tudo para casa uns deprimir, outros dormir, outros trabalhar enfim....

Não foi ainda desta que surgiu algo bombástico para aqui publicar.

 

Vou pensar mais durante a semana :)

Qualquer sugestão toca a enviar para mim o email é minisetremocos[arroba]david.pt

 

Boa semana

publicado por davidbranco às 16:57

Receber actualizações no mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

dia-a-dia numa tasca virtual que é a imagem do local tipicamente Português: A Tasca (em representação de todas as tascas) onde se come o belo do tremoço a acompanhar a Mine... Assim se vai criticando e olhando a sociedade...
mais sobre mim
Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar