mInis & tRemoços!

Receber actualizações no mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Fevereiro 11 2009

TwitterTambém eu há uns dias me rendi ao twitter.

Muitos amigos meus me perguntam... mas afinal o que é isso do Twitter que não tem piada nenhuma.

Eu geralemnete tento explicar e dou uma comparação que por exemplo o hi5 quando surgiu também não tinha piada nenhuma... E agora toda a gente tem lá um perfil.

2009 vai ser sem dúvidas o ano do twitter. Já surgiu em meados de 2007, pelo menos já oiço falar nele desde esse tempo, mas só agora com a crescente divulgação e utilização comecei a usar realmente.

Exprimentem!

 

Deixo-vos com um artigo do jornalista Paulo Querido acerca do Twitte que explica muito bem o que é:

 

Nos primeiros dias do ano assisti a um surto de novas inscrições no Twitter, o serviço de microblogging mais usado no mundo. Refiro-me a inscrições de portugueses - nos Estados Unidos a notícia já não é o surto, mas sim se o Twitter se tornará mainstream em 2009.

Também li e comentei posts cépticos sobre a evolução do Twitter, em particular o do João Pedro Pereira no Tecnopolis ( aqui ).

Mas porquê? O que é que o Twitter tem?

Há dias chegou-me o desafio de explicar o que é o Twitter num post no jugular - um dos blogs mais badalados da actualidade. Sem grandes preciosismos, listei algumas das razões para o interesse no serviço, ao mesmo tempo que explicam onde é que ele atrai as pessoas.

Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos)

Fi-lo, muito apropriadamente, em frases de 140 caracteres, ou menos, para provar desde logo ser falaciosa uma das "críticas" que se costuma ler: a de que "140 caracteres não dão para nada!". É que cada post, ou mensagem, ou "pio", ou "tweet" no Twitter tem a limitação de um máximo de 140 caracteres. Essa limitação só é um obstáculo para quem o aceite. Na verdade, é ela que torna o Twitter tão valioso: obriga ao essencial, num mundo hiper-mega-ultra repleto de acessório.

Citando João Pinto e Castro , um dos mais recentes bloggers (bl-g- -x-st- e jugular) da blogosfera "histórica", ou central, a aderir ao Twitter: "É espantoso a conversa da treta que cabe em 140 caracteres" (59). 
Republico aqui essa lista, revista e aumentada com uma secção com os perigos e os contras do uso do serviço.

Para que serve o Twitter? 

Para que serve o telefone? Para milhentas coisas, não é? Vejam no Twitter o telefone no início de século. Não se enganarão. (124 caracteres)

O uso pelos portugueses tem mudado. Hoje, 35% usa-o via browser (isto é, escreve directamente). Só 19% do uso é envio de posts via feeds. (138)

Nem sempre foi assim. Há 3 meses o uso era maioritariamente (mais de 1/3) como 2º canal de divulgação via feed (com o Twitterfeed.com). (136)

Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos)
Isto significa evolução. Os espanhóis, que usam + intensamente, + depressa e em maior número, tb têm diminuído como 2º canal. (126)

Lendo de outra forma: apesar da utilidade como 2º canal, o Twitter é cada vez mais olhado como o canal principal, o blog é o secundário. (137)

Fechem as bocas de surpresa Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos) E perguntem: porque é que metade da lista dos top 100 bloggers do Technorati tem intensa actividade ali? (136)

Respondo (em 140). 2 razões. 1ª testam importância de 1 tema antes de escrever, recolhem info e reacções. 2ª a curiosidade atrai leitores (138!!)

Reputação. Algumas "celebridades" do Twitter revelaram-se ali. Outras já existiam na blogosfera e cresceram as reputações no Twitter. (134)

Networking. Pageviews. Renovação dos leitores de um blog. Angariação de leitores brasileiros. (94)

É preciso algum cuidado mas consegue-se converter a actividade ali em leitores no blog. O Twitter é, hoje, a minha 3ª fonte de tráfego. (136)

Extraordinário manancial de informação. Embora com áreas sobrevalorizadas, sim: a web social, a tecnologia e a política americana são must. (140)

Ñ há melhor forma de seguir um acontecimento em tempo real. Entenda-se: + completa, com + pontos de vista. Links multimedia complementares. (140)

Extraordinária riqueza de links sobre qualquer coisa. Seguir as pessoas certas de um sector é a melhor maneira de saber TUDO sobre o sector (140)

É redutor escrever em 140 car? Há piores formatações! É o segredo. Simplificar. Avalio a importância de um assunto num olhar e clico ou não (140)

Conselhos? 1, apenas. Vão devagar. Da mesma forma que um blog não se faz numa semana, não se constrói nada no Twitter sem tempo. (129)

Ah, a menos que usem de forma passiva, isto é, explorando apenas o lado (soberbo, sem rival) de caudaloso rio de informação riquíssima (135)

Bastante informação aqui: http://is.gd/eEvP . Num só artigo? Este: http://tinyurl.com/ser-alguem-no-twitter (108)

Perigos e contras do Twitter 

É altamente aditivo. Um paraíso para os news junkies. (54)

É desmoralizante para quem busca o sucesso rápido ou fácil: demora imenso tempo a construir uma rede de leitores (chamados followers). (136)

Estimula a procrastinação. Quase não vi pessoas incólumes. Mas a maioria reagiu rápido no controlo da doença. (110)

Nos primeiros dias não se passa nada, um problema para os impetuosos. O retorno nunca é imediato ou garantido. (111)

É frustrante para quem pretenda estabelecer ali uma actividade puramente comercial ou propagandística. (103)

Como a vantagem do Twitter varia quase de indivíduo para indivíduo,pode demorar que tempos até perceber onde está o valor. Eu demorei meses (140)

Apesar, ou por causa, da simplicidade, a curva de aprendizagem não é rápida. Não há botões nem menus com os "comandos". Vale a entre-ajuda (139)

Sem alguma experiência de utilização e muita dedicação, o Twitter não serve para a auto-promoção, ao contrário do que se pensa (133)

Os followers não são necessariamente friends. Podem, até, ser inimigos. Não é fácil adivinhar as intenções, evite expor-se (123)

Seguir muitas pessoas traz, por cortesia delas, muitos followers, mas um grande número de followers nem o ego compensa. (120)

Cibercidadania - Twitter: prós e contras em 140 caracteres (ou menos)

Considerações pessoais

Há quem diga, carinhosamente, que eu sou um "adepto" e um "apaixonado" do Twitter. São simpáticas, as pessoas, mas abusam um pouco dos termos: não confundo a pertença ou a paixão com aprofundar conhecimentos mais ou menos activo e participado. Sei que os jornalistas não se devem envolver - mas nem a atitude social da classe está imune às evoluções (e involuções), nem estamos aqui a falar propriamente de envolvência num partido, numa empresa, numa organização, num clube (sou adepto de dois ou três, a começar pelo Sporting e passando pelo Manchester) ou mesmo na junta de freguesia local.

Aliás, o termo "envolvido" já é excessivo. Acontece simplesmente que acompanhei o Twitter desde muito cedo e com índices de curiosidade e atenção acima da média. Se isso me trouxe alguma "posição" enquanto "tuiteiro" (o que é largamente discutível, devo dizer), é uma marginalidade não pretendida.

Por outro lado, a tentativa de estabelecer páginas como a lista de "tuiteiros" de língua portuguesa, como fiz num wiki no meu endereço pessoal, tanto pode ser encarada como um sinal desse envolvimento, como - e eu encaro assim - uma pequena experiência do "jornalismo como um serviço". Este formato adicional, chamemos-lhe assim, do jornalismo está a emergir, ainda em casos isolados e as mais das vezes de iniciativa pessoal (como é o caso), mas os jornais não o enjeitarão a seu tempo. Alguns órgãos de Comunicação Social já o fazem, e de cabeça cito um exemplo recente, o da Al Jazeera no decurso da acção militar na Faixa de Gaza, proporcionando aos leitores um plataforma para a introdução de informações geo-referenciadas.

Abrir uma lista ad-hoc de portugueses e brasileiros com contas no Twitter não é notícia, mas é uma forma de principiar a organizar informação dispersa e caótica (Já agora, está aqui: http://tinyurl.com/jornalistas ).

Da mesma forma que algum jornalismo se preocupa com a cidadania e lhe dá guarida, também na rede algum ciberjornalismo abre espaço à cibercidadania.

O tempo veio, de resto, confirmar a minha aposta (ou perda de tempo, como alguns dirão): o Twitter é o caso mais sério na web social depois do Google, do YouTube e do Facebook.

Paulo Querido , jornalista ( Siga-me no Twitter )

 

E pronto podem seguir-me a mim também... O quê? Onde? No Twitter claro!

publicado por davidbranco às 09:42

Janeiro 26 2009

 Domingo à noite, numa mesa de café: Tema de conversa entre amigos... O estado da nação e o que aconteceu numa semana...

 

Descobrimos estar completamente dependentes do  media pois só falamos particamento do que estes falam e transmitem... É a tomada de posse do Obama, são os cães de água Portugueses, o Mourinho que foi expulso num jogo, O Freeport e o Sócrates, etc...

 

Reparem diz alguém...

Estamos aqui a preocuparmo-nos com esta treta toda e com os outros e os grandes e os ricos e os que querem é aparecer... E se nos focásssemos em nós, aqui na realidade mais próxima...

Boa ideia e foi então feito o nosso próprio resumo semanal enquanto no plasma memso em frente se via os Contemporâneos a meias com o atrave-te a cantar da Bárbara Guimarães... Eu diria mais atreve-te a cantar oh Barbara Guimarães... 

 

Por falar em Bárbara, um tá triste pois um amigo comeu-lhe a namorada ou seja lá o que ela fosse, nunca entendi e penso que eles também não.

Qual drame, qual história de amor trágico ao jeito de Garret. Estalada!!?? Não iria por ai. 

Sorte foi nem tudo correr mal para ele e pronto ao fim de muito tempo de luta lá arranjou um trabalho e as coisas paracem seguir bom rumo e então balanço semanal: 70% positivo e 30% negativo.

 

Vem o próximo e o dilema de sempre (desde as férias do verão) diz que gosta, diz que não, não tem coragem para dizer mas está indignado e rvoltado, faz grandes filmes de cabeça sem motivo aparente, quaisquer 3 minutos de conversa vão ter ao nome dela, enfim uma paixão assulampada que não consegue e tarda em assumir. Quando o fizer já deve de ser tarde... Olha que quem te avisa teu amigo é.

 

Ao longe o olhar fixo do Capitão a apontar na direcção da nossa mesa, algo comprometedor faz com que se puxe de mais uma cigarrada e uma mini.. Agora pago eu alguém diz... Pois é já é tio o moço... está todo contente e nem falou em mais nada da semana, só na sobrinha etc. etc. Nem mesmo no carro novo (para ele) estranho há dias não falava noutra coisa.

 

Enfim, foi tudo para casa uns deprimir, outros dormir, outros trabalhar enfim....

Não foi ainda desta que surgiu algo bombástico para aqui publicar.

 

Vou pensar mais durante a semana :)

Qualquer sugestão toca a enviar para mim o email é minisetremocos[arroba]david.pt

 

Boa semana

publicado por davidbranco às 16:57

Janeiro 20 2009

Após prolongada ausência de poasts neste blog volto á carga.

Agora que terminei de vez o meu fotoblog assim em vez de não dar atenção a nenhum fico só com um e dou-lhe mais atenção.

Aqui vou falar de alguns temas da actualidade, expor a minha visão das coisas.

Basicamente conversas das do tipo que podemos ter num café ou noutro espaço similar em voltas de umas Minis e de uns pires de tremoços :)

 

Política, actualidade, mercados, crise, Portugal, Internet, ferramentas web, notícias, desporto, cultura, fotografia, música, filmes, jogos, miúdas :p, etc...

 

O objectivo inicial é o poast semanal com como que um resumo da actualidade semanal. Assim que se justifique irei falando por aqui e deixando algumas sugestões aos leitores.

 

Obrigado por visitarem e continuem a visitar.

Cumps.

publicado por davidbranco às 11:10

Receber actualizações no mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

dia-a-dia numa tasca virtual que é a imagem do local tipicamente Português: A Tasca (em representação de todas as tascas) onde se come o belo do tremoço a acompanhar a Mine... Assim se vai criticando e olhando a sociedade...
mais sobre mim
Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds